quarta-feira, 24 de março de 2010

Um momento... meu momento

Narguilé, narguile, narguila, nakla, maguila, arguile, naguilé é um “cachimbo de água” composto por Base (jarro ou vaso), Corpo, Fornilho (rosh, cabeça ou cerâmica), Abafador (laminito) e Mangueira. Aprecio. Tenho o meu há dois anos. O comprei, por acaso, em uma feira multicultural. Parece-me um belo objeto decorativo que tem sabor suave e uma fumaça doce que incensa o ambiente agradavelmente com aroma de frutas. É raro, mas, quando o uso, costumo acendê-lo à noite, despoluindo os ouvidos com uma boa música, degustando lentamente dois dedinhos de vinho tinto suave a meia luz, antes de dormir e depois de uma (ou algumas) semana de matar. Para saúde dizem que não é bom, não é ruim ou que se não é bom, ruim também não é. O que eu sei é que fomos projetados para inspirar ar, rico em oxigênio (aproximadamente 21%), que é filtrado, umedecido, aquecido e levado aos pulmões, logo, entendo que qualquer coisa que fuja desta primeira idéia, não é natural e pode vir a ser nocivo SIM, aliás, a lista dos “anormais” que andamos respirando por aí é de tirar o fôlego: dióxido de enxofre, monóxido de carbono, oxidantes fotoquímicos, material particulado e blá, blá, blá a perder de vista. Cá com os meus botões acredito que o que mata é a falta de bom senso - bom senso é quando a gente lembra e entende que pra toda causa existe uma conseqüência e que as coisas têm começo, meio e fim – e, neste caso, deste mal talvez eu não morra, então, não me importo com o que dizem: É natural para natureza humana falar muito e não dizer nada.

(Por mim em www.dsrta@blogspot.com )

1 comentários:

Monaliza Brito disse...

Comprei um narguile pra mim!!!!
Bjos

Postar um comentário